sábado, 24 de junho de 2017

Crítica: Saenai Heroine no Sodatekata - 2ª Temporada

 
Segunda temporada veio um pouco mais dramática, mas continuou mantendo o nível da primeira e ainda sim é um bom entretenimento.

Achei estranho quando vi que o último episódio dessa temporada seria o número 11, porém me lembrei que na estreia do anime, havia um capítulo 0. Capítulo esse com o título "Fan Service de Amor e Coração Puro". Tal título refletiu exatamente no que se resumiu todo o episódio. Uma longa conversa entre o protagonista e as garotas na piscina e em outros locais de um excelente hotel. Vários frames mostrando os corpos curvilíneos das adoráveis heroínas do anime, representando bem o que o título do episódio queria dizer. Mas não foi só fan service logicamente. Os diálogos interessantes serviram para situar todos e dar prosseguimento ao objetivo ainda não alcançado na primeira temporada, que era a finalização do jogo Blessing Software.



E mais uma vez, quem brilha na temporada são as principais heroínas. Utaha, Eriri e Kato. Mais especificamente, gostei muito do que o autor fez na relação entre Eriri e Utaha. O episódio 1 por exemplo, mostra as duas se conhecendo pela primeira vez e a rivalidade de ambas surgindo, principalmente por gostarem da mesma pessoa, o Otaku Tomoya Aki, que protagoniza a obra. Mas o interessante de tudo é o reconhecimento de ambas para com seus talentos. Utaha acha incrível a arte ilustrativa de Eri e Eri é fã da Koisuru Metronome, novel escrita por Utaha.



Como mencionei acima, essa temporada foi um pouco mais dramática, mas não quer dizer que não manteve o tom divertido da primeira. Isso pode ser visto inclusive no episódio 3, aonde temos várias situações engraçadas, inclusive a briga entre Eriri e Izumi que me fez gargalhar um pouco. Também gosto de como os personagens discutem clichês de comédias românticas, principalmente apontando para a personalidade de Tomoya para o assunto.


 
E falando um pouco do Tomoya, suas decisões como produtor foram postas em prova. Achei isso muito bom, até para que o personagem perceba, que não é fácil entrar nesse caminho de desenvolvimento de jogos. O problema é que as decisões podem sobrecarregar ou até mesmo ofender, sem intenção, as pessoas envolvidas no processo de criação do Blessing Software. Decisões essas como apontar erros no roteiro de Utaha, ou tentar motivar Eriri a desenhar, sendo que a jovem está numa fase de falta de criatividade artística. Tudo isso ainda aliado ao fato de estar tão focado no jogo que acaba deixando Kato de lado.



Nessa parte inclusive, descobrimos que Eriri possuí uma extrema dependência, de ter Tomoya elogiando seu trabalho. Parece que o fato de Tomoya ter feito tanto por Izumi na primeira temporada, ainda não foi esquecido por Eriri, que ficou bastante incomodada com isso. Acabou impactando muito nos prazos para entrega do jogo até o evento da Comiket de Inverno e assim os primeiros problemas começaram a aparecer. São as barreiras para o alcance dos objetivos, cruciais para tornar a obra mais interessante e aqui se fizeram de uma forma muito competente.

 
Acho que o mais irritante em Saekano é o fato do protagonista ignorar todas as meninas ali presentes. Principalmente quando elas dão todos os indícios que estão interessadas nele. Isso de certa forma vira algo negativo, já que você acaba por odiar o personagem devido a suas atitudes. Mesmo que ele escolha alguém que você não goste, pelo menos espera que ele escolha alguém. E o Otaku acaba por ser ainda mais irritante por dar um mancada de vez em quando com as meninas, inclusive com Kato. Como mencionei logo acima, que ficou extremamente magoada pela falta de confiança de Tomoya para resolver determinados assuntos relativos ao jogo. A cena em que ela ignora seu convite para a festa de comemoração pelo o sucesso do jogo, mostra como Tomoya ainda precisa muito amadurecer, tanto como produtor, como pessoa, já que o mesmo se mostra extremamente egoísta.

 
Mas todo esse drama ajudou muito a mostrar como Kato mudou desde a primeira temporada. Antes totalmente desmotivada e sem perspectiva, sua tensão com Tomoya mostra o como estava motivada para criar um bom jogo com ele. E não foram só as emoções de tristeza, raiva e frustração que começaram a serem demonstradas pela jovem. Kato está muito mais alegre e viva do que na temporada anterior, onde parecia um androide sem sentimentos. Fora que ela começa a mostrar, certos deslizes que implicam que ela também pode estar apaixonada pelo Tomoya.
 

E voltando em Eriri e Utaha, adorei como a relação das duas foi desenvolvida. A rivalidade agora posta um pouco de lado, foi substituída por uma relação de respeito mútuo e uma forte amizade começando a ser construída. Isso se mostra bem claro, quando uma admite que não participara do desenvolvimento do jogo que foram convidadas, se a outra não for. Isso marcou também, o ínicio do amadurecimento das duas, que eram extremamente dependentes do Tomoya.


Mas mesmo assim elas ainda mostram um escorregão, quando na cena de despedida na estação de trem, vemos que ainda não conseguiram esquecê-lo completamente. O que acaba trazendo uma das cenas mais cômicas da temporada, quando Utaha beija Tomoya primeiro do que Eriri. A reação da mesma diante do fato, foi incrivelmente engraçada. Porém ali, no climax da história, foi realmente estabelecido, que Tomoya precisa seguir seus próprios passos, sem depender das duas talentosas meninas.
 



Saekano 2 foi uma agradável experiência, tanto por matar a saudade de dois anos desde a primeira temporada, como por desenvolver mais profundamente seus personagens. O A1 Pictures fez um bom trabalho com a animação e agora é esperar para ver o que vem a seguir. O anime adaptou até o sétimo volume de 12 lançados. Gostaria de ver uma continuação, trabalhando um pouco mais o Tomoya e evoluindo o personagem assim como fizeram com a esquentadinha da Eriri e a linda Utaha.

AVALIAÇÃO DO BLOG:



 


PARA AJUDAR O BLOG:

- APERTE NO BOTÃO "RECOMENDE ISTO NO GOOGLE" ABAIXO DA POSTAGEM, ISSO AJUDA MUITO NA DIVULGAÇÃO;

- SIGA O BLOG NO TWITTER E CURTA NO FACEBOOK, LEVA SÓ UM SEGUNDO E O ASSISTIDOR AGRADECE!

2 comentários:

  1. Gostei, de todas as criticas que eu vi até agora, a tua é a melhor., parabéns. O que tu disse foi basicamente o que eu pensei, e também falou uns pontos que eu não tinha percebido.

    ResponderExcluir