quarta-feira, 24 de maio de 2017

Crítica: Koe no Katachi

 
Esse não é um filme de romance como muitos pensavam, mas é um filme que tem muito a dizer.

Koe no Katachi, chamou bastante atenção quando os trailers começaram a sair e o interesse pelo plot, fizeram as pessoas esperar por essa adaptação com certa ansiedade, inclusive eu. A ideia parecia se focar em um romance entre dois jovens estudantes, sendo que a protagonista feminina, possuí uma condição especial, pela falta de audição e consequente problema de fala.


Mas como mencionei acima, este não é um romance. O objetivo do filme é sobre a oportunidade de corrigir suas falhas passadas e ao mesmo tempo passar uma mensagem bastante contemporânea e que provavelmente vai se manter como mensagem da atualidade durante muitos anos, que é o caso do Bullying.

Confesso que nunca tinha visto um filme, que expressasse o mal do bullying de forma tão realista e marcante. O início já consegue transmitir no espectador, um sentimento de revolta muito grande. O protagonista da trama, chamado Ishida Shouya, é um estudante do fundamental que tem boas amizades, porém atitudes bem infantis. Com a chegada da simpática Nishimiya Shouko, uma estudante transferida que é surda e muda, rapidamente os alunos, principalmente as meninas, começam a se socializar com ela.






Mas essa socialização perde o rumo muito rápido, quando começam a se cansar de Shouko, já que a barreira da fala torna a comunicação muito mais difícil. Para falar com ela, é necessário escrever as falas em um caderno. Shouko possuí um grande desejo de fazer amigos, mas ninguém tem motivação suficiente para se dedicar na comunicação com a jovem.



Após o afastamento da maioria dos colegas de classe, inicia-se o período de caçoar da jovem. As brincadeiras são tão maldosas, que não duvido nem um pouco, você nobre leitor, querer matar o Shouya, aquele que mais maltrata a pobre menina.





Porém, a lei do retorno veio a calhar na vida do jovem estudante de forma super rápida. Devido à uma situação diante dos colegas de classe, a escolha de palavras de Shouya faz com que todos os seus amigos se revoltem contra ele. Devido à isso, começa a sofrer maus tratos, semelhantes aos cometidos por ele contra Nishimiya Shouka.





O jovem se torna uma pessoa reclusa, sem amigos e sem perceptivas. Passa grande parte de sua adolescência dessa forma. Inclusive, a ideia de suicídio começa a pairar em sua mente.

 

O trauma na época do fundamental, faz com que ele não encare mais as pessoas, com medo de mostrar o quão egoísta e covarde ele é. As pessoas ao seu redor, tem os rostos marcados, como se não pudessem ser ouvidas ou vistas por ele. Achei essa conotação, em especial muito legal.



Esse filme é extremamente competente em te passar emoções. Além do ódio inicialmente sentido  pelas atitudes do protagonista e de outros personagens contra a pobre Shouka, outro sentimento aflorado em meu interior sem dúvida nenhuma foi a vergonha. Lembro claramente que no fundamental, havia uma menina da minha classe que sofria bullying, devido sua aparência e formato das orelhas. Eu nunca caçoei dela, mas recordo com muita exatidão, de várias vezes ter dado risada das piadas que faziam com ela. Relembrar esse período passado, me fez sentir um constrangimento extremamente desagradável.

A trama então segue o caminho da segunda chance. Shouya sente vergonha de suas atitudes e extrema tristeza pela consequência de seus atos, parando até de sentir afeição por si próprio e se auto considerando um lixo. O reencontro com Shouka, marca o início do sua vontade de reparar os erros do passado e criar um laço de amizade com ela. Só que diversas situações, vão contribuir para que as coisas sigam pelo pior caminho possível. Situações essas, que fazem com que a própria Shouka, sinta-se como se fosse um infortúnio na vida das pessoas e desejasse desaparecer. Como Shouyo poderá fazer com que a jovem goste mais de si própria, se ele mesmo não tem mais nenhum amor próprio?


A mensagem sobre as consequências do bullying na vida do vitimado é certeira e faz o espectador entrar numa auto reflexão, que com certeza vai lhe deixar pensativo por um bom tempo, como foi o meu caso.



Como sempre, a Kyoto Animation não decepciona na parte técnica. Os cenários são lindíssimos e nem preciso entrar no âmbito de design de personagens, que para mim, a Kyoto é a melhor nesse quesito. Uma coisa que senti falta, foi uma trilha sonora mais impactante nos momentos dramáticos. As músicas são bonitas, mas gostaria que fossem mais marcantes. Boa trilha sonora, exalta as sensações que a história quer te passar.


A personagem Shouka é excelente. Já de cara ganhando minha simpatia e grande sentimento de tristeza pelas provações que ela passa durante todo o filme. A coisa mais dolorosa, foi ter que suportar ver o sorriso forçado dela, diante de tantas coisas que ela sofre sem merecer. Não imaginei que ver uma pessoa sorrindo, no momento em que é maltratada, fosse ser tão doloroso para mim.


Shouya talvez, seja um dos personagens que mais odiei nessa vida. Apesar de sua redenção diante de tudo que ele fez, é difícil, pelo menos da minha parte perdoa-lo. Entretanto, gostei dele ser o foco principal de mudança na história. A história não trata só de uma vítima de bullying e sim do longo caminho de querer vencer o peso dos seus erros, perdoar os afetados por esses erros e seguir em frente.
 

O final é tão incrível, que ver Shoya caindo em prantos quando ele percebe que foi recompensado, mais do que merecia, é comovente de uma forma sensacional. Koe no Katachi deveria ser mostrado nas escolas, local onde o bullying é muito presente. Apesar de algumas cenas de linguagem subjetiva, o filme passa o recado certeiramente para qualquer um que assista.



 
Veja o filme e repense suas atitudes! Se você gosta de diminuir os outros, provavelmente tem mais medo ainda de ser diminuído, como foi o caso de Shouya. Assista e reflita!       

AVALIAÇÃO DO BLOG:


PARA AJUDAR O BLOG:

- APERTE NO BOTÃO "RECOMENDE ISTO NO GOOGLE" ABAIXO DA POSTAGEM, ISSO AJUDA MUITO NA DIVULGAÇÃO;

- SIGA O BLOG NO TWITTER E CURTA NO FACEBOOK, LEVA SÓ UM SEGUNDO E O ASSISTIDOR AGRADECE!

3 comentários:

  1. Caramba acabei de baixar esse filme e vou assistir amanhã. Gostei muito da sua critica, você escreve bem. Me tornei fã do blog, vou dar uma olhadas nas outras criticas. Parabéns pelo blog é muito bom.

    ResponderExcluir
  2. oi irmao, se der entra em contato comigo, fiquei com umas duvidas, se vc poder entra em contato pra gente escutir agradeço
    083981336947 whats

    ResponderExcluir