quarta-feira, 12 de abril de 2017

Dica de Anime: Meu Vizinho Totoro

 
Gênero: Comédia, Drama, Fantasia, Filme

Uma história para todas as idades!

Recentemente comprei todos os filmes do estúdio Ghibli com qualidade Blu-ray, então farei posts sobre vários dos filmes do estúdio que acho dignos de recomendação.

O Ghibli é famoso por obras lindíssimas e de sucesso estrondoso no Japão. Meu Vizinho Totoro, foi o terceiro filme que o estúdio lançou, mais especificamente em 1988. Mas não se deixe enganar, apesar de relativamente antigo, esse filme surpreende na qualidade técnica e animação fascinante.
 

A história inicia mostrando as irmãs Mei e Satsuki se mudando com o seu pai para uma velha casa numa vila rural no interior do Japão. Logo de cara vemos que as irmãs são super enérgicas e alegres, brincando e correndo de um lado para o outro o tempo todo. Assim começam a explorar o interior e os arredores da casa contemplando em seguida o lindo bosque nas proximidades.




Posteriormente descobrimos que a razão da mudança é pelo motivo da proximidade da residência com o hospital em que a mãe das meninas está internada, tratando de uma doença não mencionada. O pai começa a trabalhar na cidade, deixando Satsuki que precisa conciliar a escola com os afazeres domésticos e Mei quando não pode ficar sob tutela da irmã, fica sob responsabilidade da Sr. Nanny, uma simpática velhinha que mora na vizinhança.

 
Parecendo tudo simples em certo ponto, até que o espectador vai observar, junto das crianças protagonistas, que existem seres mágicos vivendo na floresta. As irmãs vêm logo no primeiro o dia, umas criaturas semelhantes a bolas de fuligem animadas e que correm quando os donos da casa estão chegando.

 
A primeira à ter um contato maior com esse lado místico da floresta é a pequena Mei, que após seguir umas criaturas pequenas e peludas, acaba chegando em um lugar misterioso na floresta, onde vive uma criatura peluda enorme.

 
Esse criatura de comportamento sonolento e preguiçoso, apesar de parecer hostil, não parece temer a presença da pequena menina, que inclusive sobe em cima dele e até adormece junto com a criatura. Mei acaba por perguntar o nome da criatura e tem como resposta um som estranho emitido pelo grande monstro, que faz com que a pequenina entenda ser Totoro, a partir daí, ela começa se referir a ele por esse nome.

 
Misteriosamente quando acorda, Mei não está mais no mesmo lugar onde se encontrou com Totoro e curiosamente não consegue chegar ao local da floresta aonde o monstro estava, mesmo seguindo o caminho percorrido anteriormente. O seu pai e sua irmã Satsuki, acabam achando graça na história imaginativa da garotinha, o que provoca a ira da mesma por não acreditarem nela.


Somente após algum tempo é que Satsuki também consegue ver Totoro e acaba interagindo com o monstro também. Conforme a trama desenrola, a situação vai ficando um pouco mais séria quando vemos que a mãe das meninas parece não ter melhorado e elas acabam brigando. Com isso, Mei foge e se perde no caminho, deixando todos no vilarejo preocupados inclusive sua irmã mais velha. A partir daí o filme segue uma linha mais dramática.





Esse filme é de uma simplicidade magnifica. É extremamente entendível você lembrar-se de sua infância corrida, movimentada e cheia de energia, em volta de brincadeiras, sorrisos e alegria. Meu Vizinho Totoro mostra a felicidade contagiante, que permeia os lugares mais simples, livres de qualquer luxo ou riqueza material, fora que fala claramente de valores importantíssimos para sociedade, como o amor da família e a amizade.



A magia do mundo mágico do Totoro e demais criaturas que vivem na floresta, são a salvação para um pequeno período difícil que as meninas passam, com a ausência da mãe doente e a impossibilidade de fazerem algo por ela. As criaturas mágicas conseguem ver, em crianças inocentes, mesmo que com poucos gestos, a necessidade de ajudá-las, por enxergar nelas, boas intenções.

 

O filme é incrivelmente bem dirigido. Mesmo depois de quase 30 anos de lançado, ainda é de se surpreender com a qualidade da animação. Realmente não é impressionável o Japão venerar tanto esse filme, imagino que na época, realmente eles mostraram um marco na história da animação japonesa. A trilha sonora é divertida e muito bonita nos momentos mais dramáticos.


Esse filme é daqueles que você deve mostrar para seu filho, para toda sua família na verdade. Para lembrar da simplicidade, humildade, infância e outras coisas tão baratas que trazem à tona momentos muito felizes e marcantes.

PARA AJUDAR O BLOG:

- APERTE NO BOTÃO "RECOMENDE ISTO NO GOOGLE" ABAIXO DA POSTAGEM, ISSO AJUDA MUITO NA DIVULGAÇÃO;

- SIGA O BLOG NO TWITTER E CURTA NO FACEBOOK, LEVA SÓ UM SEGUNDO E O ASSISTIDOR AGRADECE!

0 comentários:

Postar um comentário