terça-feira, 28 de março de 2017

Crítica: Gabriel Dropout


Anjos ruins, demônios bons e uma trama que é nada mais nada menos do que muito divertida.

Quando avaliei o guia da temporada de inverno, observei todas as informações a respeito do anime Gabriel Dropout, assim pensei ser algo semelhante a New Game!, anime de Slice of Life lançado na temporada de Julho do ano passado. Algo puxado para o moe e situações engraçadinhas, ou seja, um anime com foco maior no fan service. Mas o engano de minha parte veio logo no primeiro episódio, que mostrou a proposta moe com situações engraçadas de verdade, muito mais do que o normal em animes desse tipo.

 
Na trama, a jovem Gabriel é um anjo modelo do céu e fará sua primeira viagem ao mundo dos humanos para estudá-los e aprender tudo sobre eles. Extremamente bondosa e exalando uma aura de passividade, a jovem em pouco tempo muda totalmente seu comportamento e personalidade após conhecer o vício dos jogos de RPG online.




Gabriel fica tão viciada que mal sai de casa, seja para estudar ou para fazer qualquer outra coisa. Seu apartamento parece um balde de lixo acumulado, com sacos espalhados e latas de refrigerante permeando por todo o ambiente. Assim sua reputação desce de anjo modelo para anjo caído.

 
Como citei acima, já no primeiro episódio, vemos a trama apontar para caminhos hilários. Foi muito engraçado observar, que os vícios humanos, como internet e jogos, foram os responsáveis para mudar tanto a personalidade de um ser divino, a ponto dela nem se importar mais com a humanidade.

Posteriormente conhecemos as demais personagens que entram no ciclo de amizade de Gabriel. Sendo elas, Vignette, conhecida como Vigne, um demônio que diferente dos demais é extremamente bondosa e responsável. Satanichia ou Satania, que deseja se tornar a maior dos demônios do inferno, elaborando planos que sempre dão errado. E por último Raphiel, um anjo que também foi considerada uma das melhores e mais bondosas do céu, mas que tem o constante hábito de trollar os outros de uma forma bem sádica.




O anime então segue mostrando o cotidiano de Gabriel junto de suas amigas e apresentando episódios incrivelmente engraçados e divertidos. E se vou falar de um episódio específico, não posso deixar de falar do 3º, aonde Gabriel precisa de um emprego de meio período para fazer microtransações de itens dos seus jogos, conseguindo então, trabalho em uma cafeteria local.
 

O episódio foi simplesmente hilário, daqueles de superar suas expectativas. A apresentação do Master, dono da cafeteria e todos os problemas que ele passa tentando ensinar a Gabriel a trabalhar, foi excelente, fora que o Master na minha opinião é o melhor personagem coadjuvante do anime. É uma pena que apareça tão pouco.
 

 
 
 
A partir daí, temos outros ótimos episódios legais, como o do revólver que Satania comprou, que pode fazer a pessoa atingida ter um ataque de riso no episódio 6, o exame de aptidão física e as disputas entre Satania e Raphiel no episódio 8 e o episódio 11 que acabamos por descobrir que Satania é mais bondosa do que agente imaginava.





O que achei muito interessante nesse anime, foi a forma como o autor destoa o bem do mal. Os anjos Gabriel e Raphiel são péssimos exemplos de bondade, enquanto Vigne é tão carinhosa e gentil que é difícil acreditar que seja um demônio. É engraçado que no episódio 7, tanto Vigne quanto Gabriel, acabam por ter uma queda no valor de suas mesadas. Vigne recebe menos do inferno por ser muito bondosa e Gabriel recebe menos do céu por ser muito relaxada e não fazer nada de bom.



Vemos então, o total oposto entre elas, mas que apesar disso são ótimas amigas, representando o mal e o bem com possibilidade de conviver juntos.


Um coisa que observei, foi que fizeram um primeiro episódio com uma animação melhor do que os demais, não que isso seja algo negativo, é apenas uma observação. Em questão de elenco, talvez Gabriel Dropout tenha um dos melhores elencos femininos que já vi em um anime. Todas são super divertidas, com destaque para Satania, que para mim é a melhor personagem do anime. Um salve para a Vigne, que apesar de ser bem normal como personagem, é extremamente carismática.



Gabriel Dropout, foi sem dúvida um dos mais divertidos animes desse início de ano. Espero que no futuro venham mais tipos assim, aonde a proposta da comédia apresentada é de te fazer rir de verdade.


AVALIAÇÃO DO BLOG:

 
PARA AJUDAR O BLOG:

- APERTE NO BOTÃO "RECOMENDE ISTO NO GOOGLE" ABAIXO DA POSTAGEM, ISSO AJUDA MUITO NA DIVULGAÇÃO;
- SIGA O BLOG NO TWITTER E CURTA NO FACEBOOK, LEVA SÓ UM SEGUNDO E O ASSISTIDOR AGRADECE!

1 comentários:

  1. Na moral, já chega de animes protagonizados por menininhas... Alguém devia contar pro autor que Gabriel é um nome masculino.

    ResponderExcluir